05 maio 2016

A Umbanda, as Forças da Natureza e o Xamanismo.

As pessoas em geral nutrem um grande preconceito quanto à incorporação Umbandista. Até mesmo médiuns ou frequentadores das giras nutrem tais sentimentos, e geralmente todas estas pessoas vindas de uma formação e educação católico-cristãos que limita a incorporação a possessão de demônios ou a fantasmas terríveis no melhor dos casos... e ainda se depararam com a piada que nossa religião se formou no passado recente, graças a charlatães que utilizaram da boa fé dos pobres e dos necessitados de auxilio para ganharem dinheiro. Mas a incorporação na Umbanda quando olhada de um ângulo novo como através das lentes do Universalismo, do Esoterismo e do Xamanismo... estes movimentos místicos digamos de vanguarda... pode se aproximar muito do real significado da verdadeira Incorporação Umbandista...do real significado das mesmas em seus Rituais...em sua Liturgia, o que ajuda e muito a eliminar os pré-conceitos e as ideias pré-concebidas sobre a Incorporação de Guias e Entidades de um modo geral.

 No Xamanismo, que é tida como a religião natural, por ser a primeira forma ou a forma mais básica de contato do homem com as energias da criação (Função que o Cristianismo tratou de abolir para se tornar uma religião paternalista com milhões de seguidores ovelhas.) o Xamã incorpora as Forças da Natureza, em seus trabalhos mágicos, seja ele um Xamã Norte ou Sul Americano, seja um Xamã Balinês, um Xamã Europeu, um Xamã Esquimó, Africano, hindu, Japonês, Chinês ou Australiano...enfim, todos os Xamãs em todas as vertentes do xamanismo...incorporam as energias naturais, os espíritos naturais, e lidam com o fogo, a terra a água e o ar, estes que são os elementos básicos formadores de nosso planeta Terra, ou na linguagem de alguns povos antigos: do corpo da Grande Mãe! Eles incorporam espíritos familiares, aliados, guias e protetores espirituais, animais de poder e espíritos de vegetais; seja para a caça ou a cura, ou para viagens em busca de conhecimento, chamadas por alguns deles de Caminhadas de Poder ou Buscas de Poder... já que entendem que Conhecimento é Poder e Poder é Memória do Conhecimento... 

O que os leva a praticarem o que sabem na hora em que for necessário. (Eis aqui mais um ótimo exemplo, da sabedoria dos Xamãs, para todos nós Umbandistas: praticar o que aprendemos e especialmente saber a hora em que nosso conhecimento é realmente necessário! Ou seja, nada de exibicionismos!) Enfim, quando olhamos a Incorporação Umbandista com estes olhos Universalistas, vemos que o ato de incorporar energias e espírito é algo muito natural e pode ser controlado – educado - doutrinado... e que esta interação com outras dimensões são muito proveitosas e não só isto necessárias e normais, pois elas acontecem o tempo todo, mas nós havíamos desaprendido do contato com a natureza e com suas energias, lembram? Afinal toda a Criação de Deus é viva e possui energia, sendo assim possui um espírito, uma memória e um conhecimento e por tanto pode se comunicar, interagir! 

Expandir os relacionamentos e as formas de comunicação são preciosos atributos da Umbanda e do Xamanismo Umbandista... não, eu não quero aqui dar mais um novo nome a Religião Umbanda, mas apenas ilustrar melhor e aproximar o leitor do que quero dizer: Que a Umbanda é uma religião tipicamente xamânica, por lidar com as Forças da Natureza! O que para eu reconhecer, ajudou e muito a me livrar dos resquícios da educação religiosa e doutrinária do cristianismo católico e evangélico! Saiamos todos das velhas lentes do preconceito e encontremos os nossos amados Orixás como Forças da Natureza! 

Vejam o quão poderosa é esta visão, para quem tiver olhos de xamã ou olhos da antiguidade: 

Xangô: O Fogo
 Iemanjá: O Mar 
Iansã: O Vento 
Ogum: O Metal 
Oxalá: A Água 
Nanã: A Terra 
Obaluaiê: As Passagens ou Portais 
Oyá Logunan: O Tempo 
Oxum: O Amor 
Obá: O Pensamento e o Conhecimento 
Oxumaré: O Casulo ou Renascimento 
Oxóssi: A Floresta; A Árvore ou os Vegetais

 (Notem que estes não são os significados únicos e puros dos Orixás, aqui tais significados estão aproximados da visão xamânica dos mesmos, o que não os impede de serem verdadeiros significados!) 

Para abrir os olhos, e enxergar a realidade pura, longe dos preconceitos ou falsas imagens criadas pelas falhas de caráter humano, é preciso aprender a Primeira Lição do aprendiz de Xamanismo: Coragem para mudar! E isto requer uma Vontade Firme e uma Fé Inabalável. 

Ou uma Lição de Preto Velho: 

“ Quem num qué vê fio, num abre o zólhos... E quem num qué caminha num levanta nem da cama! Qué cunhece o mundo? Intendê das maravilhas de Deus? Abre os zólhos e acorde cedo meu fio! Tem que tê Coragem... Se não o sujeito nem levanta nem da cama! ” 

 Texto inspirado pelo Caboclo Pena Branca, dia 01/11/10. ao Médium William Oliveira
JNU - http://www.jornalnacionaldaumbanda.com.br/ 



Arquivo em formado PDF, para você ler em seu computador, tablet ou smart phone.
FAÇA PARTE DESSA CORRENTE - LEIA O LIVRO MEMÓRIAS DE UM PRETO VELHO

0 comentários:

Postar um comentário